MEMORIAL SANTA PAULINA



Estamos ansiosos com a abertura do Museu do Ipiranga, mas o post de hoje é uma dica para você visitar gratuitamente um outro museu do bairro, com uma história que emociona, principalmente por não ter o destaque merecido na história de São Paulo. Sendo assim, precisamos falar sobre Madre Paulina e o Educandário da Sagrada Família.


Independentemente de religiosidade, essa é uma história que fala sobre luta, feminismo, preconceito e vulnerabilidade.


Nascida na Itália como Amabile Lúcia em 1865, migrou para o Brasil 10 anos mais tarde e em 1895 cria a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição em (SC) e amplia sua vida missionária.


Em 1903, Madre Paulina muda-se para o bairro do Ipiranga, para assumir uma missão, que irmandades católicas poderosas como os Jesuítas e os Salesianos não demonstraram interesse, mesmo que houvesse um grande benfeitor chamado Conde Vicente de Azevedo que custearia o projeto. Essa causa, era cuidar de ex-escravisados idosos.

Madre Paulina e suas Irmãnzinhas começam então esse trabalho, ampliando o auxílio para a família desses “pretos velhos” e mais tarde, para outras pessoas em situação de vulnerabilidade.


Mas a vida de Paulina teria pedras pelo caminho, quando um “benfeitora” chamada Anna Brotero, começa a discordar da forma que a Madre gerencia a instituição e a falar mal dela para Dom Duarte Leopoldo (Arcebispo na época), até que Madre Paulina é retirada do comando da Congregação que ela mesma havia criado e proibida de liderar qualquer outra irmandade pelo resto de sua vida. Paulina é enviada para Bragança Paulista onde por anos cuidou de dezenas de idosos infernos em um hospital.


Madre Paulina regressaria ao Ipiranga, quando Anna Brotero já havia se afastado da entidade. Ela estava doente e Dom Duarte, apesar de ter solicitado que ela voltasse e a recebido com um buquê de flores, usou sua imagem perante as outras religiosas dizendo que ela recebeu todos os seus castigos sem reclamar e isso deveria ser um exemplo. Paulina viveu seu últimos dias no Educandário onde está sepultada, como Santa Paulina.


É possível visitar o Memorial de Madre Paulina, bem como a Capela.


Memorial Santa Paulina

Av Nazaré, 470 | Ipiranga

Ter a Dom | 09h às 16h

Entrada Franca


🚨O Memorial e a Capela, fazem parte do roteiro de visitas do TOUR DO IPIRANGA, que faremos no sábado (27.08).